quarta-feira, 30 de abril de 2014

"Dia do Torcedor do Botafogo" foi publicado no Diário Oficial

 Foi publicada nesse 30 de abril de 2014, no Diário Oficial do Estado do Rio de janeiro, a Lei nº 6.760, de 29 de abril de 2014, que institui o seguinte:

"Art. 1º - Fica instituído, no Calendário Comemorativo do Estado do Rio de Janeiro, o Dia do Torcedor do Botafogo de Futebol e Regatas, a ser comemorado no dia 9 de agosto de cada ano".

 A referida Lei altera a Lei 5.645, que consolida a legislação relativa às datas comemorativas no Estado do Rio de Janeiro.

 Agora nós, torcedores do Glorioso, temos nosso dia.

 A torcida do Botafogo merece, é imensa e já provou que faz diferença!

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

terça-feira, 29 de abril de 2014

Busca por atacante / Falta de um meia / Necessidade de retorno ao Ato Trabalhista

 Pelas notícias, o treinador Mancini solicitou a contratação de mais um atacante, com característica de velocista. É importante termos mais atacantes no elenco, principalmente, ou essencialmente, se tiverem qualidade. Como exemplo do baixo rendimento do nosso ataque, nas últimas seis partidas realizadas marcamos apenas quatro gols, sendo que a metade foi marcada pela dupla Sheik/Zeballos, estreante no time titular no último domingo.

 Fala-se em sondagem por Jorge Henrique, hoje reserva no Internacional, que voltaria ao clube após seis anos. Seria solução, mesmo que para compor elenco? É para se analisar.

 Os nossos "dirigentes" precisam ter eme mente que além de mais atacante(s), precisamos de um meia de criação. Hoje não temos esse jogador no elenco e tem feito muita falta. Jorge Wagner e Lodeiro não podem atuar como cérebro do time e quem mais tem característica aproximada é Daniel, utilizado no 2º tempo contra o Internacional, mas ainda falta a ele experiência para se firmar. Hoje Daniel é apenas uma promessa, que torcemos para que vire realidade.

 O principal mesmo é que a "direção" do Botafogo resolva, antes de pensar em atacante e meia, a questão dos salários atrasados, pois essa situação atrapalha a campanha de qualquer equipe.

 A "direção" precisa contornar e corrigir o que causou a saída do clube do Ato Trabalhista e trabalhar pelo retorno o mais breve possível, "para ontem". O motivo para a saída do Ato ainda não foi devidamente explicada.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

domingo, 27 de abril de 2014

Disposição e reação no 2º tempo: 2x2

 O Botafogo empatou com o Internacional nesse domingo, no Maracanã, por 2x2.

 Depois de voltar a cometer falhas defensivas no 1º tempo, que resultaram em dois gols do adversário, a equipe voltou com duas alterações na 2ª etapa, com Junior César e Daniel nos lugares, respectivamente, de Júlio César e Jorge Wagner. O Júlio falhou ao ser facilmente driblado no lance do 1º gol e vinha dando espaços nos jogos anteriores. Jorge Wagner, apesar de ter se movimentado mais do que na partida anterior, apresentou a mesma previsibilidade, não sendo produtivo.

 Com as mexidas e uma postura mais agressiva, passamos a buscar o gol no 2º tempo. Espaços não apareceram em nosso lado esquerdo de marcação e Daniel buscou bem mais o jogo do que Jorge Wagner, correndo, tabelando e buscando ser produtivo.

 Aos 16 minutos do 2º tempo, Mancini colocou Edílson e tirou Airton, que tinha amarelo. O lateral entrou com raça, mas continua com temperamento difícil, e levou amarelo desnecessário.

 Conseguimos reagir com o estreante Sheik, marcando o 1º gol, e com o efetivado Zeballos, após cruzamento de Sheik.

 Ainda tivemos uma chance com Daniel, que demorou a decidir entre a conclusão e o passe e outra com Edílson, que invadiu a área e chutou cruzado.

 Não podemos deixar passar que Jefferson também nos salvou em duas oportunidades, fazendo defesas difíceis para escanteio.

 Lucas foi expulso no último minuto, em um exagero do árbitro.

 Valeu pela postura e disposição apresentadas no 2º tempo, mesmo que ainda de forma não muito organizada, mas que resultou na reação.

Lances:
 - No 1º tempo, aos 8 minutos, a bola foi na direita de ataque do adversário, Júlio César foi facilmente driblado, a bola levantada na pequena área para o atacante marcar de cabeça;
 - Aos 16, após escanteio, a bola sobrou para Lodeiro que chutou com perigo, mas para fora;
 - Aos 32 Lucas recebeu sozinho na grande área, tentou encobrir o goleiro, mas a bola foi para fora, com perigo. Uma grande chance perdida;
 - Aos 35, Bolívar falhou na nossa área e o Internacional aproveitou e ampliou: 2x0;

 - No 2º tempo, aos 3 minutos, Sheik recebeu na área e chutou por cima;
 - Jefferson salvou aos 13, espalmando uma bola para escanteio;
 - Aos 18, Lucas recebeu na direita, na grande área, lançou na entrada da pequena área e Sheik subiu e cabeceou para diminuir: 2x1;
 - Jefferson salvou outra bola aos 28, novamente mandando a escanteio;
 - Aos 29, Emerson Sheik dominou na ponta direita, cruzou a meia altura e Zeballos escorou para empatar: 2x2;
 - Aos 46, Edílson ganhou na direita, invadiu a área e chutou cruzado, com a bola atravessando a pequena área e saindo pela linha de fundo;
 - Lucas foi expulso aos 48 por falta no meio de campo, em lance que o amarelo seria mais que suficiente.

 Airton e Edilson receberam amarelo na partida.

 Botafogo: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Júlio César (Junior Cesar); Airton (Edílson), Gabriel, Jorge Wagner (Daniel) e Lodeiro; Zeballos e Emerson.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

É hoje! Reencontraremos nosso caminho?


  A nossa torcida é que sim, que a partir desse domingo o Botafogo reencontre o seu caminho. Que saia do atual percurso, de maus resultados, de uma vitória apenas nos últimos 10 jogos, e passe a trilhar um caminho de "tempo bom", de boas partidas, de futebol e resultados satisfatórios.

 No jogo de hoje, contra o Internacional, não poderemos contar com Marcelo Mattos, contundido, e Bolatti, por força contratual (é atleta do time gaúcho).

 O treinador promoverá a estreia de Emerson Sheik, que atuará no ataque ao lado do efetivado Zeballos. Torçamos para que o nosso novo ataque, mais rápido, funcione.

 Lucas entrará na lateral direita, tendo recuperado a posição de titular, no lugar de Edílson. Ele apoia mais e é mais leve do que o seu colega de posição.

 Na vaga de Marcelo Mattos jogará Airton, o que me deixa preocupado, mas nos resta torcer para que ele atue bem.

 Botafogo: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Júlio César; Airton, Gabriel, Jorge Wagner e Lodeiro; Emerson e Zeballos.

 Agora é aguardar o horário da partida e torcer.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Enfim, algum sinal de mudança no time

 Mesmo que ainda tenha sido no treino de hoje, já vislumbra-se a possibilidade de alterações no time titular do Botafogo.

 Nessa quinta-feira o treinador Mancini sacou Edílson, Wallyson e Ferreyra e colocou, respectivamente, Lucas, Zeballos e Emerson no time titular.

 O time não pode continuar com a escalação que entrou em campo contra o São Paulo, pois apresentou um péssimo futebol e já vinha apresentando em partidas pela Libertadores.

 Das alterações realizadas, eu apenas faria diferente em relação a Ferreyra. Eu manteria o atacante como referência, tendo Emerson ao seu lado, e sacaria Jorge Wagner ou Lodeiro, já que ambos têm atuado muito mal. Colocaria Zeballos no meio.

 Espero que até amanhã o nome de Emerson seja publicado no Boletim da CBF, o tal BID. Na matéria do site do clube sobre o treino de hoje consta que ele já estaria regularizado, embora o seu nome ainda não conste no BID.

Saudações alvinegras.

Twitter: @OpiniaoBotafogo

terça-feira, 22 de abril de 2014

Que os ingressos de domingo tenham preço acessível

 A fase do time em campo não é das melhores, eu diria até que é das piores, e a torcida alvinegra já mostrou que pode fazer a diferença em um jogo.

 Diante da baixa produtividade do time em campo e do pouco tempo que o novo treinador teve até agora para ajeitá-lo, a direção do clube deveria colocar o ingresso para a partida de domingo, no Maracanã contra o Internacional, com um preço acessível para o torcedor.

 Quanto maior for o número de alvinegros no estádio, empurrando, incentivando a equipe, melhor será. Com certeza, com o Maraca cheio, a história do jogo poderá ser favorável ao alvinegro.

 Precisamos somar pontos, precisamos que o time dê uma sacudida, jogando a má fase para bem longe e a presença da galera alvinegra será fundamental para alcançar esse objetivo.

 O que será melhor, 10 mil no estádio pagando 40 reais ou 40 mil pagando 10 reais? Financeiramente, a mesma coisa, mas em termos de incentivo, uma diferença enorme. Não tenho conhecimento do contrato do clube com o estádio em termos de despesas em função do quantitativo de torcedores, por isso apenas emito a minha opinião, mas independente do preço a equipe de apoio teria que estar preparada para um público grande, ou não?

 Não sei o que a direção está planejando em relação ao preço para domingo, mas espero que tenha bom senso e nos surpreenda positivamente, colocando um valor acessível, atraindo, dessa forma, o maior número possível de torcedores, assim como outro clube carioca fez no último final de semana.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

domingo, 20 de abril de 2014

Começamos o Brasileiro da mesma forma como terminamos a Libertadores

 O Botafogo começou o Brasileiro como terminou a Libertadores: sem jogar nada e perdendo de 3x0.

 Com vários jogadores sumidos em campo, com o sistema defensivo perdido e nosso ataque completamente inoperante, demos espaço ao São Paulo e sofremos dois gols no 1º tempo.

 Voltamos para o 2º tempo com Bolatti e Zeballos nos lugares de Jorge Wagner e Wallyson, que não jogaram nada na 1ª etapa.

 Sofremos o 3º gol no início da etapa final, em nova falha defensiva.

 As duas mudanças ocorridas no intervalo, além da entrada de Lucas no lugar de Edílson, durante o 2º tempo, melhoraram um pouco a equipe, mas temos que considerar também o fato de que, com 3x0 no placar, o adversário diminuiu o ritmo.

 Além dos três gols sofridos, Jefferson ainda fez três defesas difíceis, evitando um placar mais elástico. Tivemos uma chance no 2º tempo, mas Lodeiro perdeu.

 O nosso lado esquerdo de marcação, com Júlio César, tem deixado muito espaço e o técnico precisa corrigir essa falha.

 O Mancini terá uma semana para tentar arrumar esse time, mas não pode pensar em manter a escalação do 1º tempo, que não rendeu em jogos do estadual (quando atuou) e nem na Libertadores, salvo dois jogos, em que a torcida foi fator preponderante também.

 Lances:
 - no 1º tempo, aos 12 minutos, em ataque do adversário, a bola foi cruzada rasteira da direita e o zagueiro deles, caído, conseguiu empurrar para as redes: 1x0;
 - aos 15, o Botafogo cobrou falta rápida, Lodeiro recebeu na direita, avançou, e dentro da área praticamente atrasou para o goleiro;
 - aos 20, a bola foi enfiada para um atacante paulista, que recebeu entre nossos marcadores, avançou livre na área e chutou no canto, aumentando para 2x0;
 - Jefferson ainda fez uma grande defesa aos 42, evitando o 3º gol;

 - no 2º tempo, Jefferson salvou uma bola aos 7 minutos;
 - aos 10, após nova falha defensiva, o adversário ampliou: 3x0.
 - aos 24 Zeballlos fez grande jogada pela esquerda, foi ao fundo e cruzou rasteiro, a bola sobrou livre para Lodeiro que perdeu a chance, com o goleiro defendendo;
 - Jefferson salvou novamente aos 43, fazendo defesa difícil em contra-ataque do adversário.

 Ferreyra e Marcelo Mattos receberam cartão amarelo no jogo.

 Botafogo: Jefferson, Edílson (Lucas), Bolívar, Dória e Júlio César; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro e Jorge Wagner (Bolatti); Wallyson (Zeballos) e Ferreyra.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

sexta-feira, 18 de abril de 2014

VALEU LOCO!! VALEU JEFFERSON!!

 No dia 18 de abril de 2010, há exatos quatro anos, o BOTAFOGO derrotava o Flamengo e conquistava o título estadual, vencendo os dois turnos, com lances de Loco Abreu e Jefferson, que fizeram a galera alvinegra “lavar a alma”.

DOIS MIL E DEZZZ!
DEPOIS DE TUDO QUE VIVEUUU!
A VINGANÇA OFERECEUUU!
COM A CAVADINHA DO ABREUUU!



 Foi uma tarde que ficou na memória dos torcedores alvinegros, já que havíamos chegado perto nos anos anteriores, sendo que em dois deles (2007 e 2009) as derrotas ocorreram nos pênaltis e no jogo de 2007 ainda tivemos um gol muito mal anulado de Dodô, que acabou expulso no lance e nem pode participar da decisão por pênaltis.

 Em 2010 vencemos e quis o destino que no jogo final da Taça Rio, que nos deu o título estadual, nossos gols fossem de pênalti e Jefferson ainda defendesse uma cobrança de penalidade máxima, mais para o final da partida, pênalti esse que ainda resultou na expulsão de Herrera, por reclamação.

 O argentino Herrera abriu o marcador para o Botafogo, de pênalti, no 1º tempo. Nos momentos finais da 1ª etapa o adversário empatou o jogo.

 No 2º tempo, Loco Abreu cobrou uma penalidade máxima com cavadinha, a bola tocou a parte inferior do travessão e morreu no fundo da rede adversária, sem chance para o goleiro e causando vibração dos alvinegros.

Loco Abreu  marca o 2º gol, cobrando pênalti com cavadinha

 Quando o jogo entrava na sua parte final, o juiz marcou um pênalti para o adversário, Herrera foi expulso por reclamação. Na cobrança, Jefferson se esticou, saltando na bola e dando um tapinha, defendendo o pênalti e garantindo a vitória e o título, fazendo a galera alvinegra explodir de alegria nas arquibancadas do Maracanã.

Jefferson defende pênalti do adversário e garante o título
Saudações alvinegras.

Twitter: @OpiniaoBotafogo

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Início dos trabalhos para a estreia no Brasileiro

 Vagner Mancini, nosso novo treinador, foi apresentado e começou a trabalhar ontem. Hoje realizou mais um treinamento, deu instruções ao elenco no início e, pelas divulgações, deve manter a equipe que vinha atuando, talvez com a intenção de manter o entrosamento, em que pese a desorganização que a equipe vinha mostrando.

 Achei que o Zeballos fosse entrar como titular, mas pelos treinos isso ainda não deve ocorrer.

 Que o treinador ajeite o time para a estreia no Morumbi, mesmo que seja com uma estratégia específica para esse jogo.

 A partir da próxima semana, com mais tempo para trabalhar o grupo, ele poderá começar a dar a forma que julga ser a melhor para a equipe. Inclusive, na próxima semana, ele poderá encaixar o atacante Sheik no time, visando sua estreia na segunda rodada, contra o Internacional, no Maracanã.

 O zagueiro Dankler vem treinando no lugar de Dória, que está servindo a seleção brasileira sub20. Fica a dúvida se Dória chegará a tempo e em condições de jogar. Vamos aguardar.

 Seis atletas passaram a treinar a parte e poderão ser negociados. São eles: Luis Guilherme (goleiro), Alex (lateral direito), Mario Risso (zagueiro), Anderson (lateral esquerdo), Sassá (atacante) e Yguinho (atacante).

 O meia Cidinho deverá se submeter à uma artroscopia e deverá voltar aos treinamentos somente após a Copa do Mundo.

 Que Mancini possa, de fato, fazer o time surpreender na competição, pois atualmente a equipe é considerada por alguns, como o Guia do Brasileirão da globo.com, como uma das que lutarão contra o rebaixamento.

 O provável time para a estreia é: Jefferson, Edílson, Bolívar, Dória (ou Dankler) e Júlio César; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro e Jorge Wagner; Wallyson e Ferreyra.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

terça-feira, 15 de abril de 2014

Os atrapalhados dirigentes

 Essa é exatamente a sensação que nos passa a diretoria do Botafogo.
 A cada momento que passa e a cada ação realizada ou não realizada a apreensão entre os torcedores aumenta.
 O receio por uma péssima campanha no Brasileiro é evidente.
 Depois dos vexames no estadual e na Libertadores, tememos pela participação do clube na próxima competição, devido a alguns fatores, como por exemplo:

- a incompetência da direção em seu planejamento do início do ano, não conseguindo levar o clube para as semifinais do estadual, quando ficou atrás de várias equipes menores, e na Libertadores, competição que aguardamos 18 anos para retornar e o clube não passou da fase de grupos, tendo ficado, inclusive, na última posição do seu grupo;

- o equívoco na aposta em um treinador sem experiência, oriundo das categorias de base. A aposta, que foi realizada exatamente na Libertadores, teve sua consequência;

- uma das alegações para a escolha do treinador na Libertadores teria sido o problema financeiro enfrentado pelo clube, mas agora, após o fracasso, resolveram ir em busca, segundo o presidente, de um “treinador vitorioso” (fechou hoje com Vagner Mancini);

- faltando poucos dias para a estreia do clube no Brasileiro, além da questão do treinador, definida nesta terça-feira, o clube fez dispensas na comissão técnica, que podem causar descontentamento no elenco, por alguns nomes que saíram;

- a dispensa do zagueiro Bolívar, que segundo publicações teria sido um dos líderes das manifestações do elenco. Curioso nisso é que os jogadores reivindicaram a normalização do pagamento dos salários, que é um direito deles;

- no final da noite de ontem notícias davam conta de que o clube, devido à solicitação do grupo de jogadores, poderia rever a decisão de dispensa de Bolívar, demonstrando como a direção anda “perdida”.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo   

sábado, 12 de abril de 2014

Que o clube encontre um rumo a partir de 2ª feira

 O Botafogo, segundo informações, teria dado folga ao elenco nesse fim de semana e a reapresentação ficou para segunda-feira. Que a partir desse dia o clube encontre um rumo adequado, contrate um bom nome para treinar a equipe, que já no próximo final de semana estreará no Campeonato Brasileiro contra o São Paulo, no Morumbi.

 Nomes são ventilados para novo treinador, como Wagner Mancini e, segundo PCV em sua coluna, Ney Franco e Argel Fucks.

 O nome de Ney não me agrada muito. Desses citados prefiro o Mancini. Argel, de bom apenas ser bem participativo durante o jogo, mas agitação do técnico na beira do gramado não é sinônimo de sucesso, em que pese a irritação que dá assistir a inércia de treinadores, mesmo com o time apático em campo.

 Vamos aguardar o que essa diretoria fará dessa vez.

 É aguardado o anúncio oficial de Emerson Sheik no início dessa semana. Se vier para atuar como nos títulos nacionais que conquistou poderá nos ajudar. Um receio é a fama de jogador polêmico que tem, podendo gerar algum atrito interno, mas vale considerar que a união que o elenco dizia ter não levou a nada em termos de resultado. A sua chegada será uma incógnita, pelo menos durante o transcorrer de algumas rodadas.

 Com o que temos no elenco atualmente e se considerarmos Sheik como contratação certa, um time para a estreia poderia ser: Jefferson, Edílson, Bolívar, Dória e Junior César; Gabriel, Bolatti, Jorge Wagner e Zeballos; Emerson e Ferreyra.

 Sim, eu barraria Júlio César, Marcelo Mattos, Lodeiro e Wallyson.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Libertadores + estadual = 39% de aproveitamento

 Foram 23 jogos realizados pelo Botafogo até o momento em 2014. 

 Pelo estadual foram 15 partidas e pela Libertadores 08.

 Dessas 23 partidas o Botafogo venceu apenas 07, empatou 06 e foi derrotado em 10.

 O alvinegro marcou 25 gols e sofreu a mesma quantidade, ou seja, após 23 jogos o saldo de gols do Botafogo é zero.

 Uma campanha simplesmente ridícula. 

 Nos últimos 10 jogos o Botafogo venceu apenas 01 e perdeu 06.

 O futebol que a equipe alvinegra vem apresentando é de uma pobreza impressionante.

 Volto a insistir que providências precisam ser tomadas no clube, caso contrário a trajetória no Campeonato Brasileiro tende a ser sombria.

 Não pode um clube da grandeza do Botafogo, após 23 partidas realizadas no ano, ter um aproveitamento de apenas 39%.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

Fim de linha LAMENTÁVEL

 Foi um triste fim de linha do Botafogo na Libertadores 2014, perdendo por 3x0 para o San Lorenzo.

 Em nenhum momento do jogo vislumbrei qualquer chance de êxito. Nem com o placar ainda em 0x0 ou quando já perdíamos de 1x0. O time não criou chances de gol. E isso não ocorreu apenas nesse jogo. A inoperância é recorrente.

 Depois de um sufoco nos 10 primeiros minutos, equilibramos o jogo, mas somente até concedermos o primeiro gol.

 Foi uma noite de gentilezas do Botafogo, como nos 2 primeiros gols do San Lorenzo:

 - no primeiro tempo a bola estava dominada por Jorge Wagner, que tentou inverter a jogada e acabou chutando em cima de um adversário, com a bola sobrando para um argentino chutar, desviar em Júlio Cesar e tirar Jefferson da jogada;

 - no segundo tempo, Airton foi cortar na nossa área, furou e a bola sobrou para o adversário chutar da entrada da área e aumentar.

 Só tivemos uma chance em bola enfiada por Jorge Wagner para Wallyson no 1º tempo, mas o atacante (mais uma vez mal demais no jogo) chutou para fora.

 Jorge Wagner também foi mal, além da falha no 1º gol, até falta na entrada da área, sua especialidade, cobrou mal, na barreira.

 Alguém tem certeza que esse Lodeiro que tem atuado é jogador da seleção uruguaia? O cara não tem jogado nada.

 Jefferson ainda fez duas defesas difíceis no 2º tempo, evitando um vexame maior.

 Um time sem padrão de jogo, sem ataque, sem meio de campo, sem treinador, não dá para esperar muito.

 Botafogo: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Júlio César; Airton (Bolatti), Gabriel (Henrique), Lodeiro e Jorge Wagner; Wallyson (Fabiano) e Ferreyra.

 A única coisa que se salvou nessa Libertadores, por parte do Botafogo, foi a sua torcida. Essa sim mostrou a sua força.

 Uma preocupação: se não houver contratações vamos sofrer muito durante o Campeonato Brasileiro.

 De planejamento a "direção" do clube mostrou que é muito ruim, mas providências precisam ser tomadas se não quiser ver o time passando mais sufoco e mais vexame durante o Brasileiro.

Saudações alvinegras.

Twitter: @OpiniaoBotafogo

segunda-feira, 7 de abril de 2014

O Profissionalismo de Jorge Wagner

 Muitas vezes criticamos clube, time, jogador A ou B, obviamente por considerar que as críticas são pertinentes, mas elogiamos também quando achamos que é merecido.

 Gostaria de ressaltar a demonstração de profissionalismo de Jorge Wagner, que mesmo com a esposa ainda internada por ter tido complicações no parto, resolveu viajar com o grupo para a Argentina, conforme divulgado hoje pela imprensa.

 Podem ter certeza que não foi uma decisão fácil de ser tomada pelo atleta. Muitos não tomariam tal atitude e, pelo motivo, nem poderiam ser criticados por isso.

 O Jorge Wagner demonstrou respeito pelo clube e por seus companheiros de time, buscando ajudá-los a superar essa difícil partida contra o San Lorenzo, mesmo atravessando esse problema de saúde familiar.

 Aqui do blog, transmito meu respeito ao atleta e profissional Jorge Wagner e desejo plena recuperação à sua esposa.

 Saudações alvinegras.

Twitter: @OpiniaoBotafogo

domingo, 6 de abril de 2014

Airton titular? Fortes emoções pela frente...

 O treinador do Botafogo vem testando algumas formações para o jogo contra o San Lorenzo, quando decidiremos a nossa classificação para a próxima fase da Libertadores.

 Na partida da próxima quarta-feira não poderemos contar com Edílson e Marcelo Mattos, suspensos.

 Lucas substituirá Edílson mais uma vez e na vaga de Mattos, achava que apenas seria promovido o retorno de Gabriel, mantendo Bolatti ao seu lado. Pelo que vem sendo testado, há uma tendência pela escalação de Airton em lugar do Mattos. Mais preocupante ainda é a hipótese de entrar Airton, mantendo Bolatti no time e sacando Wallyson.

 Essa última hipótese, mesmo Wallyson estando em má fase, deixará Ferreyra isolado no ataque, o time recuado, mas puxando contra-ataque com quem?

 Não gosto de estratégia de jogar recuado, tentando segurar o adversário durante os 90 minutos e buscando uma bola para marcar um gol.

 Dar campo ao adversário é sofrer pressão e nem sempre tal estratégia dá certo, pois em determinado momento pode furar o nosso sistema de marcação e complicar muito as coisas.

 Os argentinos sabem como catimbar um jogo e como será a reação de nossos atletas? Como será a reação de Airton? Ele costuma fazer muitas faltas, levar cartões e uma expulsão na Argentina pode entornar o caldo.

 De certo mesmo é que viveremos fortes emoções na próxima quarta-feira.

 Saudações alvinegras.

 Twitter: @OpiniaoBotafogo

quinta-feira, 3 de abril de 2014

O que precisamos para avançar de fase

 Precisamos, primeiramente, jogar um bom futebol, coisa que não vem acontecendo.

 Agora, sobre pontos e resultados, apresento um resumo com combinações de resultados na última rodada e como terminaríamos no grupo.

 No momento, o Grupo 2 se apresenta com a seguinte classificação:

Equipes
PG
J
V
E
D
GP
GC
SG
Union Espanhola
09
05
02
03
0
06
04
02
Botafogo
07
05
02
01
02
05
04
01
Independiente D. Valle
05
05
01
02
02
05
06
-01
San Lorenzo
05
05
01
02
02
03
05
-02

 Em caso de vitória estaremos classificados.

 Para ficarmos em 1º, além da nossa vitória, seria preciso derrota do Unión. Empate dos chilenos, o 1º lugar seria decidido nos critérios de desempate.

 Em caso de empate nosso na Argentina, teríamos diversas situações possíveis:

- Empate do Botafogo por qualquer placar e vitória, empate ou derrota por um gol de diferença do Unión Española contra o Del Valle, no Chile, nos classificaria;

- 0x0 ou 1x1 nosso e vitória do Del Valle por 2x0 sobre o Unión, os equatorianos passariam de fase, pelo nº de gols marcados;

- 2x2 nosso e vitória do Del Valle por 2x0 sobre o Unión, o Glorioso se classificaria pelo nº de gols marcados nos jogos fora de casa (haveria empate no saldo e no nº de gols marcados);

- 2x2 nosso e vitória do Del Valle por 3x1, 4x2, 5x3, etc, os equatorianos passariam pelo nº de gols marcados;

- 3x3 nosso e vitória do Del Valle por 2x0 sobre o Unión, o Glorioso se classificaria pelo nº de gols marcados;

- 3x3 nosso e vitória do Del Valle por 3x1 sobre o Unión, o Glorioso se classificaria pelo nº de gols marcados nos jogos fora (haveria empate no saldo e no nº de gols marcados);

- 3x3 nosso e vitória do Del Valle por 4x2, 5x3, etc, os equatorianos passariam, pelo nº de gols marcados.

 Em caso de derrota, o Botafogo será eliminado.

 Saudações alvinegras.


 Twitter: @OpiniaoBotafogo